02/06/2010

[Cinema] Stanley Kubrick

Nascido em Nova York dia 26 de Julho de 1928, Kubrick era um amante da fotografia e em seus filmes isso é visível. Começou trabalhando aos 17 anos na revista Look. Produziu seu primeiro curta-metragem aos 22 anos e acabou descobrindo que sua paixão era o cinema. Demitiu-se da Look e com a ajuda do pai produziu o seu primeiro longa, Fear and Desire (1953). Além disso, Kubrick era um excepcional jogador de xadrez, e com o dinheiro de torneios conseguiu financiar a produção do filme.
Em 1955, produziu o primeiro longa mais profissional, A Morte Passou por Perto. Kubrick chegou a abrir uma própria produtora, mas teve apenas 3 grandes filmes lançados por ela: O Grande Golpe (1956), Glória Feita de Sangue (1957) e Lolita (1962).
Porém, esse é somente o começo da carreira do cineasta. Seus mais importantes filmes viriam nos próximos anos: Dr. Fantástico (1964), 2001 – Uma Odisséia no Espaço (1968), A Laranja Mecânica (1971), Barry Lyndon (1975), O Iluminado (1980), Nascido Para Matar (1987) e seu último filme, De Olhos Bem Fechados (1999). Stanley Kubrick não chegou a terminar o seu último projeto cinematográfico: AI: Inteligência Artificial dirigido por Steven Spielberg. O filme acabou tendo inúmeras referências ao diretor, que morreu no dia 07 de março de 1999, de ataque cardíaco.
Com sua fama de controlador, filmes impressionantes visualmente e excelente recepção crítica, Kubrick foi o responsável por muitas das mais notáveis obras do cinema.
O C&O vai falar sobre quatro dos mais importantes filmes do cineasta:
Dr. Fantástico (1964):

Filme com 100% de aprovação da crítica. Única comédia feita pelo diretor. Baseado em um livro de Peter George, Stanley Kubrick retrata o drama da Guerra Fria com muito humor negro, o mundo governado por “idiotas”. Tem Peter Sellers atuando em três papéis: o Presidente, o Capitão Lionel e o Dr. Fantástico. O filme tem a fotografia e trilha sonora primorosa, é satírico e genial. Um dos melhores filmes do diretor.

A história se passa durante a Guerra Fria, em um mundo dividido entre EUA e União Soviética e as possíveis conseqüências caso um anticomunista e general americano (Peter Sellers) decide bombardear a URSS. Transtornado, o general não percebe que pode causar a Terceira Guerra Mundial.
O Dr. Fantástico e mais outros dois filmes do Kubrick, 2001 - Uma Odisséia no Espaço e A Laranja Mecânica, estão listados entre os 50 maiores filmes de todos os tempos, pelo American Film Institute.
2001 - Uma Odisséia no Espaço (1968):

Um filme com 96% de aceitação da crítica. Propositalmente cansativo e difícil. Ao mesmo tempo, genial. É uma contagem regressiva para o futuro, o mapa para o destino da humanidade, uma indagação para o infinito.

Ele é fascinante, Vencedor do Oscar de Melhores Efeitos Especiais, mostra o drama entre a máquina e o homem em volto em música e movimento, um trabalho tão influente que Steven Spielberg o comparou com o “Big Bang” dos produtores de sua geração. Talvez seja o melhor trabalho do diretor Stanley Kubrick (que escreveu o roteiro junto com Arthur C. Clarke, um dos grandes autores de Ficção Científica).

Para começar sua viagem pelo futuro, Kubrick visita nosso passado ancestral, então salta milênios para o espaço colonizado onde o astronauta Bowman (Keir Dullea) entra realmente no universo, até mesmo para a imortalidade.

A Laranja Mecânica (1971):

O filme tem 91% de aprovação da crítica. Adaptação do livro de Anthony Burgess, o filme recebeu várias indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro.

Na Londres do futuro, Alex (Malcolm McDowell) é líder de uma gangue de delinqüentes, os Droogies, que tomam uma droga (moloko) e saem às ruas para matar, roubar e estuprar. Preso, ele é usado em um experimento destinado a refrear os impulsos destrutivos, mas acaba se tornando importante para lidar com a violência que o cerca. Depois do experimento, Alex já não é mais o mesmo. O jovem que cometia crimes agora já não é tão capaz.
Um filme extremamente pessimista e cansativo psicologicamente. Alex é o anti-lei. O filme é uma crítica a sociedade. Expondo dois tipos de violência, a do indivíduo e a do Estado, que justifica a violência cometida em nome do "status quo" e do controle coletivo. Há também a crítica pela hipocrisia social, a mesma sociedade que condenava Alex pela violência o recebe de volta com mais violência.
O Iluminado (1980)
Um dos mais populares filmes de Kubrick tem apenas 87% de aprovação da crítica. Do roteiro que ele co-adaptou do livro de Stephen King, Kubrick mistura grandes interpretações, cenários ameaçadores, cenas extraídas de um sonho, com sustos constantes, efeitos sonoros e direção de arte impressionantes, transformando o filme em um marco do terror.
No papel principal, Jack Nicholson, interpreta Jack Torrance, que vai para o elegante e isolado Overlook Hotel com sua esposa (Shelley Duvall) e o filho (Danny Lloyd), para trabalhar como zelador durante o inverno. Torrance jamais havia estado naquele lugar antes. Ou será que havia? A resposta está na fantasmagórica jornada de loucura e assassinato.
Um dos maiores filmes de terror da história, O Iluminado é muito mais um terror psicológico do que fantasmagórico, rendendo críticas negativas ao Kubrick do próprio autor, Stephen King. Mas, o que se pode levar em conta é que, exatamente por isso, o filme é muito bom.
___________________________________________________

Pra mim, Stanley Kubrick é um dos mais geniais cineastas e seus filmes são uma aula de cinema em todos os sentidos: roteiro, enquadramento, fotografia, efeitos sonoros e especiais e todo o resto. Com certeza, um dos maiores gênios da sétima arte.

Créditos: Podcast de Cinema da MTV
Por: Mariah

7 comentários:

Thainá disse...

"Pra mim, Stanley Kubrick é um dos mais geniais cineastas e seus filmes são uma aula de cinema em todos os sentidos: roteiro, enquadramento, fotografia, efeitos sonoros e especiais e todo o resto. Com certeza, um dos maiores gênios da sétima arte."
disse tudo

ótimo post!

Myrian disse...

perfeeeeeito o post, mariah *o*

eu conheço pouco sobre o Kubrick, mas desse pouco já fica bem claro que ele era genio no que fazia xD

Hellen disse...

Gostei,bem legal :D

Jean disse...

Hortaliça! Hortaliça! HortaLIÇAA!

a little louder, that's all. disse...

O Kubrick sem dúvida nos tira do cotidiano fantasioso que criamos pra nos arrastar para a face mais crua e sem rodeios das pessoas. Faz questão de chocar, tem atitude, agride, entende a psicologia humana. Basicamente, o Kubrick cria/mostra a beleza e a arte nas coisas mais íntimas da nossa mente, mas ainda assim, nossas.

with a little help from my friends disse...

amooo, tenho Stanley Kubrick tatuado na minha bunda... bó
e esse finde ainda eu estava vendo os extras do laranja mecanica...
muita coisa interessante

pjitos

with a little help from my friends disse...

Hortaliça! Hortaliça! HortaLIÇAA!

eu ri